terça-feira, 30 de junho de 2009

Diálogos (Im)Pertinentes

Estava em uma fila, em determinado estabelecimento, esperando pacientemente com uma amiga a nossa vez de comprar pão, enquanto as atendentes conversavam entre si.
Entre uma espiadela em um preço e outro das coisas que estavam por perto, ouço o diálogo mais apropriado que poderia haver para o local em que estávamos.
Entre uma pesagem de bolo de chocolate e uns pães dentro dos saquinhos, eis o fragmento da conversa:
- Esse é tiro e queda!
- Qual? O Rosa?
- Sim, o rosa.
Outra atendente entra na conversa:
- Mas por que ele é bom?
A primeira responde enquanto pesa um pedaço de bolo e coloca a etiqueta do preço:
- Porque seca o rato. O Rosa é bom porque seca o rato.

"Veneno para ratos? Tem rato aqui será?"  

- Susi, me lembra de comentar uma coisa depois?
- Lembro.
- É sobre um assunto pertinente... Muito pertinente.
- Tá.
A atendente:
- O que era pra vocês, moças?
Minha amiga:
- Pãezinhos. Seis pãezinhos.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Pois é, pois é...

Ao longo da nossa vida, somos um pouco de tudo.
Algumas expectativas frustradas. Um pouco de realizações.
Alguns sonhos perdidos, um pouco de desilusão. Muitas risadas. Choro na madrugada.
Somos o sonho de encontrar alguém. E o momento de achar que não há ninguém no mundo pra nós. Somos algumas trapalhadas, algumas palhaçadas e um pouco de mau humor. Somos como uma esponja que absorve as coisas, que sofre por antecipação e quase sempre, com razão.
Somos um pouco de razão. Um pouco de emoção. Alternadamente.
Somos a saudade de amigos. Decepção com amigos. Decepção para amigos. Somos amigos.
Somos insegurança. Somos um gigante às vezes. Somos invisíveis.
Somos a garganta que não engole sapo. E a mesma garganta que deixa passar alguns sem explicação.
Somos as fotos, a música, os livros.
Somos o silêncio na tristeza e o riso na euforia. Somos um pouco de dor, um pouco de memórias tristes, um pouco de saudosas lembranças.
Somos aquela criança que não cresce, ou pelo menos que não deveria crescer, para encarar a vida de uma maneira mais leve. Mais simples.
Somos um pouco de passado, um presente e um futuro.
Somos as coisas que vivemos e as bagagens que trazemos conosco. As experiências nos transformam. O passar do tempo nos modifica constantemente, incansavelmente. Adquirimos experiências em situações que não se repetirão. Experiência essa, que só vai servir para ajudar alguém, algum dia.
Nós somos o que vivemos.

sábado, 20 de junho de 2009

Jornal O Taquaryense

Visitei o Jornal O Taquaryense para um trabalho da faculdade e posto aqui algumas fotos da visita.

O Taquaryense foi fundado em 31/07/1887, por Albertino Saraiva, e é o 2º jornal mais antigo do Rio Grande do Sul. Feito artesanalmente (tipografia), é semanal (entregue aos sábados) e tem cerca de 350 assinantes.


Atualização, em 28 de dezembro de 2013:
O jornal também tem site: http://otaquaryense.tk, idealizado por mim e por minha colega e amiga Juliana Bencke. A primeira visita ao semanário rendeu frutos. Minha monografia e o projeto experimental tiveram O Taquaryense como tema.







As três últimas fotos são de arquivos de 1927 e 1928.

Abrindo espaço...

Fotos do colega Téo Zambarda.
Rio Paraná - Divisa da Argentina com o Paraguai.

Cores perfeitas. Sem edição! Aprecie sem moderação!