quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

"Keep rolling, rolling, life must go on"


Um balanço de final de ano. Desde quando eu não fazia isso? 2010 foi um ano interessante. Ganhei a bolsa de estudos em Pelotas. Não fui. Mesmo com todos me dizendo que uma chance dessas não aconteceria duas vezes. Mentira. Ganhei outra na Unisc. Continuei. Saí do emprego em que trabalhava há sete anos e oito meses. Conquistei novos amigos. Passei noites em claro fazendo trabalhos, jogando conversa fora, ouvindo música e lendo. Lendo muito.
Pessoas chegaram e saíram. Pessoas chegaram e ficaram.
O cabelo ficou grande, viajei pra Caxias, escrevi pouco no blog, não comprei nenhum disco de vinil. Nem CD. Baixei música.
Tudo assim mesmo, sem aparente ligação, mas tudo parte da mesma vida.
Toquei pouco violão, assisti a temporais, me preocupei com nota, quebrei o MP3.
Perdi um amigo. Perdi dois. Doeu. A morte dói. Perdi outros que, por escolha própria, decidiram se afastar. Não me queixo. Não adianta. Talvez, algum dia percebam que minha amizade era sincera.
Viajei de ônibus todo santo dia (exceto aos sábados, domingos, feriados e férias). Ri no ônibus, chorei, li, vi filmes, me estressei com a “música” alheia. Odiei a segunda-feira. Curti a quarta. Fiz poema, ganhei flor, passeei, fiquei em casa. Fui cúmplice do meu cachorro. 

Foto de Cristiane Lautert

Levei a moto para o conserto. Mais de uma vez. Ouvi a mesma música centenas de vezes e tomei banho de chuva. Trabalhei com crianças e com idosos. Continuo sedentária, continuo magra, continuo tendo horários loucos para fazer as refeições. Não tomei muita água, não escrevi um livro e nem fiz o vídeo dos meus sonhos. Não fui para a praia. Não toquei teclado. Não arrumei a fonte queimada do teclado. Fui mais desorganizada do que em 2009. Fazer o que se as pessoas melhoram?
Descobri que há muitos seres com problemas em usar verbos no infinitivo + R.
Defendi causas que não eram minhas. Dei conselhos por MSN. Briguei por MSN. 
Fiz minhas primeiras entrevistas.
Fui o visitante nº “999.999” de, no mínimo, 30 sites. “Não é piada”, como eles gostam de dizer. Fotografei muito e mostrei quase nada. Não arrumei o mouse com a rolagem estragada desde março. Nem o monitor. Para haver consertos é necessário grana. Para haver grana é necessário trabalho. Enviei currículos.
Conheci uma pessoa linda. Vivi cenas de filme. 
Planejei mudar de cidade. Ganhei mais sinais no rosto porque não usei filtro solar. Comi chocolate. Tive alergia. Fiz muitas coisas e deixei de fazer várias outras. A vida é assim. Não dá para alcançar tudo o que se planeja. O que dá para fazer é continuar planejando. Um dia a gente acerta. Ano que vem eu acerto. Ou não. 

"We have our misfortunes
The darkest of days
We must endure and keep strong
Just look to the morning
The promise awaits
And know that this life must go on". (Alter Bridge)